Eu amo contar a história

"Ela pode não me conhecer - mas eu a conheço"

Por vários meses, o doce e velho Sr. Sam foi ao asilo todas as manhãs às 9:00. Um dia tempestuoso, a enfermeira que cuidava de sua esposa se perguntou se ele sairia naquele tempo horrível. Mas ele chegou exatamente ao mesmo tempo, pronto para sua visita especial. A enfermeira Susan comentou sua fidelidade à esposa, que nem o reconhecia mais. O Sr. Sam sorriu e respondeu: "Ela pode não saber quem eu sou, mas eu sei quem ela é".

Com essas palavras de amor, ele entrou na mesma sala, sentou-se na mesma cadeira e pegou a mesma mão estimada e enrugada que segurava por quase 60 anos.

De uma maneira muito mais profunda, Jesus, nosso Senhor e Salvador, chega a cada um de nós com o perfeito amor de Deus em Seu coração. Ele é fiel e continua a vir. Mas aqueles que não sabem quem é Jesus não respondem nem o recebem em seus corações.

Seu amor não diminui, no entanto. Ele continua a bater na porta do coração. "Eis que estou à porta e bato, se alguém ouvir a minha voz e abrir a porta, entrarei e cearei com ele" (Ap.3: 20).

Em Filipenses 2: 8-11, entendemos ainda mais por que Deus veio a nós:

"E, sendo encontrado na aparência de homem, humilhou-se e tornou-se obediente até o ponto da morte, até a morte da cruz. Portanto, Deus também o exaltou muito e deu a ele o nome que está acima de todo nome, que no nome de Jesus, todo joelho deve dobrar-se, dos que estão no céu, e dos que estão na terra, e os que estão embaixo da terra, e que toda língua deve confessar que Jesus Cristo é o Senhor, para a glória de Deus Pai. "

Seu amor e Seu propósito nunca mudam, mesmo que não haja resposta. Desde o início da criação, Deus procurou tocar e guiar Seu povo. Mas houve aqueles que caminharam em rebelião e foram levados para longe de Seu propósito.

Começou no jardim com Adão e Eva. Ele persistiu através de Abraão, Issac e Jacó. Então Moisés levou o povo de Deus à escravidão no Egito. Profeta, sacerdote e rei continuaram a falar por Deus. Sempre houve pessoas obedientes, mas algumas escolheram seu próprio caminho egoísta.

Mas louve ao grande Deus da criação, que veio em carne humana como um bebezinho para crescer em masculinidade. O rei de todos os reis, Jesus Cristo, nos mostrou o caminho da salvação. Muitos não O conhecem, mas não há dúvida de que Ele nos conhece.

Ele quer segurar a mão dos rebeldes, dos desobedientes e dos que estão sob o domínio dos vícios. Ele ama e espera pela resposta de todas as pessoas apanhadas nessas armadilhas. Cabe a nós, que respondemos ao chamado de Jesus, dar esperança aos perdidos. Compartilhar a mensagem do evangelho não é apenas imperativo, mas alegre.

As palavras de Jesus em Marcos 16:15 continuam a dar orientação perfeita: "Vá a todo o mundo e pregue o evangelho a toda criatura".

Há muito tempo, em 1834, nasceu uma mulher que acabaria escrevendo um hino que encarna essa idéia. Katherine Hankey viveu sua vida em Londres, Inglaterra e foi criada em um lar cristão. De fato, sua família costumava convidar convidados para sua casa para estudar a Bíblia. Katherine, apelidada de Kate, até estudou a Bíblia nas favelas da cidade para dar aulas na escola dominical.

Quando ela tinha trinta anos, uma doença a manteve acamada por muitos meses. Mas isso não reduziu seu entusiasmo por compartilhar a mensagem do evangelho. Escrever poesia que contava a história de Jesus era sua saída. O poema mais longo foi dividido em duas seções, intituladas "A História Procurada" e "A História Contada".

Durante esse período de descanso na cama, Katherine Hankey deu ao mundo um dos hinos mais emocionantes já escritos. "Gosto de contar a história" foi publicado em 1868. Foi extraído da segunda parte do poema mais longo. A música foi composta por William G. Fisher.

"Adoro contar a história de coisas invisíveis acima,

De Jesus e sua glória, de Jesus e seu amor.

Adoro contar a história, porque sei que é verdade,

Satisfaz meus anseios, como nada mais pode fazer.

"Adoro contar a história: será meu tema na glória,

Para contar a velha e velha história de Jesus e seu amor ".

À medida que o hino continua por mais três versos, ele cria um desejo de saber mais. Tenho certeza de que era a intenção de Hankey que os crentes aprendessem tudo o que é possível sobre esse abençoado Salvador. De fato, no último verso, ela revela seu próprio desejo de saber mais:

"Adoro contar a história, para quem a conhece melhor,

Pare com fome e sede de ouvi-lo como o resto.

E quando, em cenas de glória, eu canto a nova, nova música,

Será a velha e velha história que amei há tanto tempo.

Houve um dia memorável em que visitei uma casa de repouso. Essa experiência está registrada em meu livro, 52 Hymn Story Devotions . "Carrie Shook tinha cem anos e pediu que eu fosse ao quarto dela para uma visita. A Bíblia de couro preto esfarrapada ao lado da cama dava testemunho de que ela adorava ouvir e contar a história por um longo tempo. Sua voz sussurrante repetiu a frase. palavras de vários hinos antigos. Que alegria ouvi-la dizer: "Gosto de ouvir sobre Jesus. Ele me faz companhia o tempo todo". Meu amigo precioso abençoou minha vida naquele dia. "

Querido Senhor Jesus, venho a você em ação de graças que alguém me contou sobre você quando eu era criança. Obrigado por bater na porta do meu coração. Você me amou e esperou pacientemente até minhas necessidades serem tão grandes que eu sabia que não havia mais para onde ir. Eu tinha conhecimento em minha mente, mas não foi até ter fome e sede de mais de sua verdade e poder que comecei a andar em sua abundância. Agora eu amo contar sua história. Sim Jesus, eu oro em seu nome.

Amém

Lucy Neeley Adams sempre gostou de música. Ela começou a contar a história de hinos na rádio cristã WWGM em Nashville, TN, nos anos 80. Ela então escreveu uma coluna de jornal intitulada "Song Stories" por cinco anos. Durante esse período, o livro de Lucy, 52 Hymn Story Devotions , foi publicado pela Abingdon Press em Nashville. Cada uma das 52 histórias contidas no livro é escrita em um formato devocional, com as palavras do hino concluindo cada devoção. Lucy, apelidada de "A senhora do hino", pode ser ouvida na primeira quinta-feira de cada mês, quando ela discute histórias de hinos durante uma entrevista por telefone com Michelle Mendoza de "Living Christian". O programa é exibido na estação KCIS em Seattle, WA. Lucy mora em Lake Junaluska, Carolina do Norte, com seu marido ministro, Woody. Eles têm quatro filhos e quatorze netos. Ela pode ser contatada para comentar em . Visite-a em 52hymns.com .

Artigos Interessantes