O que significa "onipresente"?

O que significa onipresente? - Origem Latina

Quando menina, visitando uma pequena igreja na esquina de Chicago, ouvi um pregador citar Mateus 18:20: “Onde dois ou três estão reunidos em meu nome, eu estou no meio deles”. grande promessa, mas despertou confusão e admiração em meu coração: Deus está com "dois ou três" em Chicago e "dois ou três" na China - ao mesmo tempo?

Eu tive minhas primeiras dúvidas sobre Deus com base no meu sistema de crenças sobre o que eu podia ver, sentir e entender, em vez do que Deus nos diz sobre si mesmo nas escrituras. Anos depois, quando me tornei seguidor de Cristo e examinei os conceitos bíblicos para mim, Deus abriu meus “olhos de entendimento”. Embora a palavra “onipresença” não apareça na Bíblia, o conceito é claro em Mateus 18: 20 e muitas outras escrituras.

Na faculdade, descobri que o prefixo da palavra "onipresente" vem do latim - "oni" significa "tudo". Algumas outras palavras nos estudos bíblicos se referem a Deus com o mesmo prefixo. "Onipotente" significa todo-poderoso e "onisciente" significa onisciente. "Onipresente" é fácil de definir: presente ou presente em qualquer lugar. Isso não significa que onipresença é um conceito simples.

A onipresença de Deus é bíblica - mas muitas vezes incompreendida

A onipresença de Deus nem sempre é entendida ou representada. Onipresença não é panteísmo. No grego, "panteísmo" é a palavra "tudo" mais a palavra "deus" ou "divino". Para alguns, panteísmo significa que tudo faz parte de um "Deus" abrangente, identificado tão intimamente com o universo quanto a estar totalmente imerso no tecido dela. O panteísmo às vezes é descrito desta maneira: “Deus é tudo e todos; e todos e tudo são Deus. ”Outros simplesmente afirmam que“ divindade ”e“ realidade ”no universo são idênticas.

Esse "pensamento panteísta" influenciou os primeiros grupos gnósticos e foi popularizado no século XVII pelo filósofo Baruch Spinoza. Os teólogos continuam discutindo a “controvérsia do panteísmo” hoje. Hinduísmo, budismo, alguns cultos como adoradores da “mãe natureza” e outros - pelo menos até certo ponto - incluem elementos do panteísmo. Mas não é a isso que a Bíblia se refere nas escrituras que descrevem a onipresença de Jeová Deus. Em passagens como o Salmo 139: 7-8, entendemos que Deus está em toda parte, mas Deus não é tudo. Por exemplo, podemos dizer que Deus vive dentro de uma pessoa, mas essa habitação não faz dessa pessoa Deus. Isso seria idolatria!

Outra visão distorcida da presença de Deus está no deísmo. "Deísmo" vem do latim para "deus", que significa "deus". Os deístas acreditam que existe um Ser Supremo ou Criador que é distinto de Sua criação, mas eles também negam que Ele tenha um papel ativo em Sua criação, incluindo a vida de Deus. pessoas. Portanto, este Ser pode estar de alguma forma "presente" no deísmo, mas não intervir ou interagir diretamente com a humanidade.

Deus está além de tudo - mas é acessível

Incluídos na visão bíblica da onipresença de Deus, tanto no cristianismo quanto no judaísmo, encontramos dois outros conceitos: transcendência e imanência. Esses conceitos nos ajudam a entender como a onipresença de Deus é bela e complexa.

Na transcendência, Deus é totalmente independente do universo material - além das leis físicas de Sua criação. Ele se eleva e supera o tempo e o espaço. Embora Ele defenda todas as coisas, Ele nunca precisará de alguém para defendê-Lo! Sendo transcendente, Deus está tão além de nós que não O conheceríamos se Ele não se revelasse para nós. Nossos pensamentos e maneiras humanos estão muito abaixo dos dele. (Isaías 55: 8-9; Romanos 11: 33-36) A Bíblia diz que Sua presença é tão grande que Ele não pode ser "contido" em nossos lugares sagrados, pois Sua glória está acima dos céus. (Salmo 113: 4-6)

Mas esse mesmo Deus é "imanente" ou presente em Sua criação. Ele está perto de nós, totalmente presente no tempo e no espaço. Pode-se dizer que Ele está longe e perto. Esse Deus, que deve permanecer separado de nós por causa de nosso pecado e Sua santidade, escolhe se aproximar de nós por meio de Cristo que quebrou a barreira da separação. (Isaías 64: 6-7; Êxodo 33:20) O Deus que mantém tudo junto escolhe estar sempre presente com Seus filhos adotivos. Em Jesus, "vivemos, nos movemos e temos nosso ser " e o Senhor " não está longe " de nós. (Atos 17:25; Atos 17: 27-28) Recebemos orientação e provisão por meio do Espírito Santo que habita, mas também na presença de Jesus Cristo e do Pai. Através de Jesus, temos acesso a Deus. (Efésios 2:18)

Deus se revela - exceto quando não o faz.

Deus está presente continuamente, mas Ele nem sempre escolhe se revelar. E às vezes Ele não se revela a todas as pessoas da mesma maneira ou ao mesmo tempo. A Bíblia diz que Deus é nossa " ajuda muito presente" em tempos difíceis. (Salmo 46: 1) Por exemplo, Ele se faz conhecido por aqueles que invocam Seu nome e por aqueles que oram por outros. (Mateus 6: 6; Romanos 8:26)

Ele "entra" na história do homem em momentos importantes, e o mundo experimentou um poderoso senso da presença de Deus quando Deus, o Filho, Jesus, veio à terra. Jesus se tornou nosso Emanuel - “Deus conosco”. (Isaías 7:14; Mateus 1: 22-23) No entanto, existem algumas vezes, por razões conhecidas apenas por Deus, quando Ele não escolhe se revelar. Na experiência do patriarca Jó, parecia que Deus estava se escondendo. (Jó 23: 8-9) É assim que outras pessoas também percebem Deus - que Ele as está escondendo ou abandonando. Mas o Senhor nunca deixará ou abandonará os seus. (Deuteronômio 31: 6; Hebreus 13: 5) Mesmo nos momentos em que Deus parece velar a si mesmo ou permanecer separado nas trevas, Sua presença é conhecível e poderosa.

O filósofo ateu, Bertrand Russell, disse uma vez: "... se houvesse um Deus, acho muito improvável que Ele tivesse uma vaidade tão desconfortável que seria ofendido por aqueles que duvidam de Sua existência". Russell questionou o porquê - na sua opinião. Deus fez Sua existência e presença tão obscuras e inadequadas. Mas Deus forneceu evidências claras e suficientes na criação e em Sua Palavra. (Romanos 1: 19-20; Romanos 16: 25-26) A verdade é que somente os humildes buscarão o Senhor. O Deus onipresente "espera para ser desejado", escreveu Tozer: "Você pode ver Deus de qualquer lugar se sua mente estiver pronta para amá-lo e obedecê-Lo".

Deus vê tudo - sim, mesmo isso!

Você já fez algo errado intencionalmente e pensou tolamente que o Senhor não podia ver ou não se importava? A verdade é que Deus está assistindo em todos os lugares. Ele vê o mal e o bem. A escuridão em que nos escondemos é como luz para Ele - nunca escaparemos de Sua presença amorosa, cuidadosa e correta. Saber que Ele está presente deve nos motivar a fazer escolhas sábias e piedosas. Deus observa como as pessoas vivem! (Jó 34:21)

Não pense em Deus como um "olho do mal no céu". Um dos meus nomes favoritos para Deus vem de uma antiga escrava, Hagar. Ela fugiu de Abraão e Sara após a confusão que surgiu por não terem esperado o plano de Deus se desdobrar. Hagar chamou o nome do Senhor, El Roi, que significa “ Você é um Deus de ver .” (Gênesis 16: 13-14) Ela acreditava que o Deus de Abraão zelaria por ela e seu filho.

Para o cristão, a vigília de Deus deve ser entendida como supervisão ou cuidado. Ele se importa conosco como um Pai amoroso. Ele nos vê aonde quer que vamos em nosso “caminho” ou viaja pela vida - em nosso trabalho, nos divertimos e descansamos. Ele sabe tudo sobre nós! Porque Deus nos vê e nos conhece, Ele está pronto para ajudar, instruir e ensinar-nos os caminhos da sabedoria. Ele diz: “Eu o aconselharei de olho em você.” (Salmo 32: 8)

A presença de Deus traz bênçãos - ou não.

Para o cristão, a presença de Deus no céu será uma manifestação de bênçãos inacreditáveis. Não podemos começar a imaginar como será estar lá com ele. Podemos esperar ansiosamente pelas “ruas de ouro” e outras bênçãos materiais e espirituais, mas a maior bênção será estar com Aquele que morreu por nós e orou por nós. E ao vê-lo, seremos como Ele - mudados para sempre em Sua presença. (1 João 3: 2)

Mas a onipresença de Deus não será uma bênção para aqueles que O rejeitaram. O pecado separa as pessoas de Deus, e o inferno é um lugar de separação do Senhor para aqueles que não confiaram em Cristo. (Isaías 59: 2; Mateus 25:41) Alguns acreditam que Deus nunca estaria presente em um lugar como o inferno, mas outros argumentam que aqueles que experimentam a presença de Deus no inferno apenas experimentam a realidade de Sua ira sobre o pecado. Esse sentimento de Sua presença será um lembrete do grande abismo fixo que impede os “iníquos” da bênção eterna. (Lucas 16:26)

Sim, Deus enche tudo com Sua santa presença e mantém tudo por Seu poder supremo; e aqueles que O conhecem serão abundantemente abençoados. Não é o mesmo que abençoar a todos, em todos os lugares.

Deus “habita” a eternidade - e o contrito.

O profeta Isaías, que fala muito sobre a eternidade, diz que Deus é alto, elevado e santo, e Ele “habita a eternidade. ”(Isaías 57:15) Ele mora lá! Ele ocupa da eternidade passada para a eternidade futura. E do céu onde o Senhor está sentado entronizado em glória, Ele observa toda a humanidade. Aquele que criou cada um de nossos corações nos observa e examina, sempre procurando ver se vamos buscar e confiar nEle. (Salmo 33:15; Salmo 53: 2)

A verdade é que buscamos a Deus e O amamos apenas porque Ele primeiro nos procurou e nos amou. Buscar o Senhor significa buscar Sua presença, às vezes expressa nas escrituras como buscar Sua “face”. Devemos buscar a presença do Senhor continuamente. (1 Crônicas 16:11; Salmo 105: 4) Devemos estabelecer nosso coração e mente para buscar a Ele e às coisas que estão “acima”. (1 Crônicas 22:19; Colossenses 3: 1-2)

Nosso maravilhoso Deus habita a extensão da eternidade, mas também escolhe morar com um certo tipo de pessoa. Deus deseja reviver aquele que é humilde de espírito, aquele que vem a Ele com um coração contrito, admitindo total dependência Dele. O Senhor deseja que as pessoas busquem, conheçam, amem, obedeçam, adorem e sirvam a Ele - por pessoas que são gratas por Sua graça e misericórdia. Por causa de Jesus, o Deus onipresente habita em nós pelo Espírito Santo. Como escreveu John Piper: “A presença do Espírito de Deus em minha vida foi comprada pelo sangue de Jesus.” A maravilhosa verdade para o crente é que Deus estará sempre conosco, até o fim dos tempos.


Dawn Wilson e seu marido Bob moram no sul da Califórnia. Eles têm dois filhos casados ​​e três netas. Dawn auxilia a autora e apresentadora de rádio Nancy DeMoss Wolgemuth na pesquisa e trabalha com vários departamentos da Revive Our Hearts. Ela é a fundadora e diretora da Heart Choices Today, publica Upgrade with Dawn e escreve para Crosswalk.com. Dawn também viaja com o marido no ministério com o Pacesetter Global Outreach.

Artigos Interessantes